segunda-feira, 28 de julho de 2014

Em Comum - RAPs para acordar

Saudações a todos, a quem aprecia uma boa manhã pra um bom dia produtivo dentro e fora da música, hoje a coluna "Em Comum" recomenda os melhores sons pra ouvir no início do seu dia e se sentir disposto a progredir.

1) Rashid - Bom Dia, Guerreiro

"Não quero água só na minha, eu quero que chova nas nossas hortas"

2) Iky Castilho - Livre
"Fazemos cada vez mais, vivemos cada vez menos, progredindo sem direção"

3) Emicida e Rael da Rima - Viva
"Não dou ordem em ninguém, ninguém da ordem em mim"

Terceira Edição da Roda Viva em Petrópolis RJ

Nesta Quinta-Feira, 24 de Julho de 2014, ocorreu na cidade de Petrópolis, RJ, a terceira edição da Roda Viva. O evento ocorre uma vez ao mês e, desta vez, além da biblioteca, game de skate, batalha de MC's e apresentações musicais, contou, também, com um debate a respeito do tema "Democratização da mídia".
O debate, em sua maneira extremamente interessante, interativo e bem esclarecedor, ficou nas mãos de Daniel Ilesco. Em seguida, foi iniciada a primeira fase da batalha de MC's, contando com os MC's:
FreeJah
Ricardo Bessa
Grilo HL
Nabrá
Gui Jazz
Xamã
Djow
Durango Kid
A batalha foi mestrada por Shampox e julgada pelos MC's Kablan (PsicoAudio) e Pará (RapRua).

Logo após a primeira fase da batalha, Representando o CafeCrime e o Studio Setor, rolou um show com o rapper Ramiro Mart, de Volta Redonda, acompanhado do beatmaker GoriBeatzz e do rapper Pirra, também de Volta Redonda.
A final da batalha foi disputada entre os MC's Djow e FreeJah, numa batalha sangrenta que foi levada até o terceiro round.


No final, apesar de bem disputada, a vitória foi levada pelo rapper FreeJah, que fez seu freestyle ao clássico estilo da Roda Cultural do CDC, a capella, sem beat, sem equipamentos de som.
Que assim se mantenha a Roda Viva, que, apesar de ainda em sua terceira edição, já simboliza a resistência da cultura Hip Hop na cidade. Evento esse que será sempre aguardado pelos apreciadores da cultura que os une sempre que possível. A RODA É VIVA!
Mais fotos do evento:






Aproveito o post para lembrar que, apesar deste post, ainda haverá a coluna "Em Comum" hoje à noite, e vale lembrar também que Segunda que vem sairá a próxima entrevista. As últimas duas foram com os rappers Iky Castilho e Jota (Clique nos nomes para ver as entrevistas).

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Lado C Entrevista: Jota - Sempre Tive Aqui

Saudações a todos, a entrevista da semana foi com o rapper Jota, a respeito de seu som "Sempre Estive Aqui". Confiramos.

Sobre o Jota

Lado C: Quando e como você entrou para o ramo musical?

Jota: Entrei no ramo da música em 2009 nas férias de Julho quando eu e mais dois amigos  montamos um grupo chamado Crazy Core e ficamos as férias todas gravando um CD  DEMO de forma caseira esse dois amigos foram o DIL (que hoje em dia só ouve rap) e o LN Beatz (que ta dando um tempo do rap). Gravamos o CD DEMO lançamos em agosto distribuímos cópias pra amigos mas em novembro o grupo chegou ao fim e comecei solo gravando e lançando uns sons de forma caseira, em 2010 decidi ir pra rua conhecer mais, LN me levou em uma batalha no Shop North Shop e venci a Batalha, no mesmo ano fui pra batalha do real em jpa onde fiquei nervosão e perdi na primeira Batalha. Em 2011 que eu comecei a minha correria mesmo tava todo dia na rua, todo dia nas rodas, não tinha uma roda que eu não ia. De segunda a segunda era rap, daí que veio a deia de Quem não corre, não anda.

Lado C: Quais foram os primeiros músicos que você conheceu pessoalmente através do RAP?

Jota: Os primeiros músicos que conheci no RAP foram o Mc Cóe, Black Alien, Sheep, O Gil metralha, os caras da CONE, Marechal. Eu tava em roda todo dia e sempre acabava conhecendo os caras pra mim, mas sempre fui na de fazer amizade sem chegar de emocionadão, chegava me apresentava se tivesse assunto ali naquela roda ficava se não tivesse saia saindo. Essa parada de se emocionar fica ali do lado sem nada pra falar eu não curto acho que isso é querer  forçar amizade.

Lado C: Você tem ou participa de algum projeto além do RAP em si, como projetos com bandas, venda de beats etc?

Jota: Participo! Faço parte do Coletivo Dichinelo que tem mais três MC's que são o Leo Stylle, Tavares e Social MC e outros amigos que ajudam o Coletivo. E também faço parte do  Coletivo Original Black Sound System que sustenta a Roda de Realengo e apresenta e faz eventos, esse é formado por Mc's , Grafiteiros e DJ's. Apresento e faço a Discotecagem de eventos deles. E tenho um Home Studio onde fortaleço os amigos e tiro uma graninha que da pra comprar um varejo.

Sobre a música "Sempre Tive Aqui"

Lado C: Quando a letra foi feita e como surgiu a ideia?

Jota: A Letra foi feita em 2013 depois que fui em um show de rap, e sempre rola aquela  parada de nego cagar nos novos que cantam. O Público reclama quando o DJ toca  um "Kamau - Só" ou uma "Mos Def" um "De la Soul" reclama do tipo porra esse  DJ só toca as velhas, que velhas mano, isso são clássicas. Uma parte do público do rap é muito má educada então cheguei em casa com umas ideias na cabeça e escrevi, e saiu essa parada! 

Lado C: Quem foi responsável pela produção instrumental, captação de áudio, arte e outras coisas do som?

Jota: Arte ,captação, mix/master foi tudo eu mesmo aqui no homestudio o beat e de um cara chamado Jerrod Hinton.

Lado C: Como você resumiria a ideia que o som transmite?

Jota: É um se liga, um Acorde tipo "EI, rap não é só isso não! Vamos correr atrás, vamos pesquisar!" 

Música:

Minha Opinião:
O som teve uma produção muito bem trabalhada, provando que é possível fazer um som de qualidade e provocando os que compõe os citados "droga, puta, ego e emocionado" da atual cena.
Frase mais marcante:
"Aprendi que a cobra mais perigosa não é o bicho"

segunda-feira, 14 de julho de 2014

Em Comum - Rimanessência

Saudações a todos, o "Em Comum" da semana reuniu vídeos de alguns dos poetas que já participaram do projeto "Rimanessência", do Café Crime, que foca a parte mais poética do RAP, desprezando o ritmo para focar na poesia contida nas letras. "Rimanessência, a causa da palavra e o que ela causa."

1) Ramiro Mart
"Debaixo do Sol, toda construção é vã se não tiver propósito no que semear"

2) Spinardi (Haikaiss)
"Enquanto houver ponto de vista, não existe perfeição"

3) Rashid
'
"Rio que corre pra frente, ouviu? Pra frente, eu só me apego nesse tipo de corrente"

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Lado C Entrevista: Iky Castilho - Livre

Saudações a todos, para estrear o retorno do Blog, teremos hoje uma entrevista com o MC e produtor Iky Castilho, do Café Crime, a respeito do clipe de sua música intitulada "Livre".

Sobre Iky Castilho

Lado C: Quando e como você entrou para o ramo musical?

Iky Castilho: Em 1998, eu tinha um grupo de rap na minha cidade natal, Volta Redonda. E comecei a aprender como produzir e gravar. Quando a banda acabou eu já trabalhava em estúdios e vivia completamente imerso na musica foi muito natural.

Lado C: Quais foram os primeiros músicos que você conheceu pessoalmente através do RAP?

Iky Castilho: Mano, foram vários e tem tanto tempo.... Mas o primeiro artista profissional de rap que conheci e troquei algumas ideias e experiências foram o Benegão e o DJ Rodrigues (Black Alien e Speed) de Niterói.

Lado C: Você tem ou participa de algum projeto além do RAP em si, como projetos com bandas, venda de beats etc?

Iky Castilho: Tenho um projeto de musica instrumental chamado Jazzmim, como músico sempre faço colaborações com outros artistas, dentro e fora do Rap. Já toquei e gravei com artistas como Jam da S Silva, a banda F.u.r.t.o. (M. Yuka), Damein Seth, Isaar França, Honey larochelle, Thalma de FreitasLucas Vasconcelos, Menor do Chapa, entre outros tantos artistas e músicos fodas com quem cruzei nessa caminhada... Não vendo beats! Mas já compus e produzi pra alguns artistas de Rap, como Xará, MV Bill, Criolo, Haikaiss, Rapadura, Oriente, Funkero, Lívia Cruz... E também gravei e rimei com muitos Mc's,  desde parceiros de longa data como Zé bolinho, Max B.O., até meu novo parceiro Rod (3030), também já gravei com Shaw, Ramiro Mart, Kamikaze, Gutierrez e vaaarios outros, atualmente estou gravando um som com meu mano WC Beats de Vitória E.S.! Tenho um projeto com o produtor Bryan velasco de L.A.

Sobre o som "Livre"

Lado C: Quando a letra foi feita e como surgiu a ideia?

Iky Castilho: Foi feita em dezembro de 2011, eu tinha acabado de voltar da Grécia, e estava morando numa casa na montanha isoladão do mundo (onde foi feito o clipe), só eu, os bichos, os discos e o estúdio. Fiquei lá num período de reclusão voluntaria de 6 meses, onde fiz o álbum Jazzmim 2, e recebia visitas esporádicas de amigos como Odarya Mello e Ramiro Mart.

Lado C: Quem foi responsável pela produção instrumental, captação de áudio, arte e outras coisas do som?

Iky Castilho: Eu fiz tudo, e o Ramiro Mart mixou a primeira versão dela.

Lado C: Como você resumiria a ideia que o som transmite?

Iky Castilho: Eu percebi que eu não precisava provar nada pra ninguém, nunca fui popstar, mas tenho meu reconhecimento dentro da música e dentro do mais respeitados ciclos do Rap, que eu não precisaria fazer rimas e tracks "caça-níquel" e que podia ir mais fundo dentro da música rap, que foi oque eu escolhi, então decidi  fazer uma track livre de clichês, estéticos e de pensamento, uma música livre, onde eu poderia ser livre e ajudar a  libertar quem captasse essa ideia.  A música fala sobre libertar-se, libertar os outros, e sobre ter a consciência que isso começa com nossas escolhas, começa dentro de cada um de nós. Foi esse sentimento que eu quis e tentei passar nessa canção!

Música:

Minha opinião:
Tanto a música quanto o clipe foram extremamente bem sucedidos em passar a tal sensação de liberdade através da arte. A harmonia entre a suavidade do beat e a calma que a voz demonstra causam um resultado até incomum, o que torna "Livre", além de um dos melhores sons de Iky Castilho, digno de pertencer ao cenário do RAP nacional.
Trecho mais marcante:
"Aonde temos que chegar, e por que nos esquecemos de perguntar a nós mesmos o que tanto queremos? Fazemos cada vez mais, vivemos cada vez menos."

sexta-feira, 4 de julho de 2014

Mudanças e retorno do Blog Lado C!

Saudações a todos, e eis aqui as mudanças que ocorreram e ocorrerão no Blog Lado C, neste mês em que esteve ausente.
Primeiramente, devem ser destinados os devidos agradecimentos aos primeiros rappers que ajudaram a gerar o conteúdo até agora visto no blog, os entrevistados MC's: Átomo, F2L (EfiDoisEle), Oldi, ThiagoSkpMarcão Baixada, Mattenie e Bê O (Clique nos nomes para ver as entrevistas).
E não, a aparência do Blog não foi a única mudança ocorrida. Segue abaixo o novo calendário:

O blog agora terá um calendário composto por duas semanas.
-Na Segunda-Feira da primeira semana, será postada uma entrevista com algum rapper brasileiro.
-Na Segunda-Feira da segunda semana, será postado um "Em Comum".
-A Coluna "Pré e Pós" será extinta.
-Sem ainda um dia específico, mas será gerado conteúdo original em vídeos para o blog, seja ele um beat diferenciado, um medley acústico em homenagem a algum beatmaker ou o que for possível.
-Sempre que possível, o blog trará notícias do mundo do RAP nacional, como lançamentos, eventos e promoções.

Já deixo aqui anunciado que o blog voltará oficialmente nesta Segunda-Feira, 07/07/2014, a entrevista já está fechada, os próximos "Em Comum" já estão engatilhados, e que venha o retorno!

Para mante-se informado, curta a página do Blog Lado C no Facebook: https://www.facebook.com/blogladoce