segunda-feira, 9 de junho de 2014

Lado C Entrevista: Bê O - Ironia

Saudações a todos, a entrevista da semana foi com a Bê O, a respeito de sua música "Ironia".

Sobre a Bê O

Lado C: Quando e como você entrou para o ramo musical?

Bê O: Desde bem pivetinha eu canto pela casa e escrevo algumas letras...Tive uma banda, fiz minhas primeiras apresentações. Mais tarde as coisas foram ficando mais concretas. Eu escrevia rap, mas não sabia que aquilo que eu fazia era rap. Até que eu mostrei essas letras para algumas pessoas que me disseram que aquilo era bom. Então, um cara lá do sul viu um vídeo meu na internet cantando uma música minha e quis fechar comigo em alguns sons. Eu viajei pra lá, nós trabalhamos juntos e gravamos meu primeiro EP, o Boletim de Omissão. 

Lado C: Quais foram os primeiros músicos que você conheceu através do RAP?

Bê O: Um cara que eu conheci no início da minha caminhada e que me estendeu a mão e confiou no meu trampo foi o Nocivo Shomon. A primeira vez que estive num estúdio para gravar, foi junto dele, a gente gravou um som juntos chamado "Nosso País". Depois dele conheci várias pessoas envolvidas no movimento, fiz grandes amigos através do hiphop.

Lado C: Você tem ou participa de algum projeto além do RAP em si, como projetos com bandas, venda de beats etc?

Bê O: Sim, eu estou junta dos meus parceiros do coletivo cultural Periferia Invisível e nós estamos com uns projetos para serem realizados aqui na zona leste. Faremos um evento chamado Arruaça, uma vez por mês na minha quebrada. Aqui na Leste 5, eventos culturais e  espaços de lazer estão muito escassos. Então eu tive a ideia do evento e achei essa galera que quis fechar comigo pra fortalecer... vai ser daora pra mulecada colar, ouvir um rap, ouvir uma ideia, conhecer o movimento. O primeiro evento acontecerá em agosto deste ano.

Sobre a música "Ironia"

Lado C: Quando a letra foi feita e como surgiu a ideia?

Bê O: A música Ironia foi feita quando eu tinha 13 anos. Eu estava em meu quarto, com um violão e uma revolta. Eu havia acabado de perder meu pai e me sentia impotente por perder meu pai pra um sistema de saúde público e integligente. Creio que desaguei um pouco da minha incompreensão naquela letra.

Lado C: Quem foi responsável pela produção instrumental, captação de áudio, arte e outras coisas do som?

Bê O: Nas músicas do meu EP trabalhei com o produtor Jacko Bagatini, de Curitiba. O cara é embaçado, talentoso demais. Também trabalhei com os músicos, Fellipe da Luz na guitarra, Diego Antunes no Baixo e com a backing vocal Lagmê.

Lado C: Como você resumiria a ideia que o som transmite?

Bê O: A ideia é a seguinte, a educação, a saúde e a justiça são falhas no Brasil...  Nossa gente sofre, o povo da periferia sofre...e a imagem que tentam passar é de que o brasileiro é só festa, futebol, bunda. A ideia tinha que ser outra, pelo menos para a consciência de quem nós realmente somos, de qual é nossa cultura de fato.

Música:

Minha Opinião:
A primeira coisa que chama atenção na música Ironia é seu ritmo diferenciado e a melodia na letra, coisa não muito comum entre rappers. Bem puxado pro reggae, denuncia a realidade que muitos se recusam a enxergar numa vibe nada cansativa.
Frase mais marcante:
"E o povo pensa: E daí, se eu for cúmplice no assassinato da justiça do nosso país? E daí?"

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Pré e Pós - Criolo Doido

Saudações a todos, o "Pré e Pós" da semana mostrará trabalhos de um músico que atua em vários gêneros musicais, desde o RAP à bossa, samba, enfim: Criolo Doido.

Pré: Criolo Doido - Tô Pra Vê
"Tô Pra Vê" é a faixa 5 do álbum "Ainda Há Tempo", lançado em 2006.

Pós: Criolo Doido - Subirusdoistiozin
"Subirusdoistiozin" é a faixa 2 do álbum "Nó Na Orelha", lançado em 2011.

Melhor música, na minha opinião:
Criolo Doido - Gelo No Inferno

terça-feira, 3 de junho de 2014

Lado C Entrevista: Mattenie - Seja Você O Seu Deus

Saudações a todos, a entrevista da semana foi com o rapper Mattenie, a respeito de sua polêmica música "Seja Você O Seu Deus", que fará parte da Mixtape "Outro Plano".

Sobre o Mattenie

Lado C:  Quando e como você entrou para o ramo musical?

Mattenie: Não sei dizer com exatidão o momento em que conheci de perto a música, mas acredito que minha vó tenha uma enorme responsabilidade por isso. Cresci ao lado dela ouvindo desde Elis Regina até um pouco de música clássica como Tchaikovsky. Agora me lembro que decidi me dedicar a fazer RAP após assistir pela primeira vez 8 Mile, esse filme mudou minha vida musical.

Lado C: Quais foram os primeiros músicos que você conheceu através do RAP?

Mattenie: Acho que como todos os brasileiros foi Racionais Mc´s, me lembro que na época eles haviam lançado o "Sobrevivendo no Inferno" e aquela temática do disco me chamou a atenção por ser algo que até então eu não conhecia como uma realidade vivida pela maioria dos brasileiros.

Lado C: Você tem ou participa de algum projeto além do RAP em si, como projetos com bandas, venda de beats etc?

Mattenie: Admiro muito quem rege o Fruit loops, me arrisquei algumas vezes mas assumo que meu forte é com a poesia. Escrevo bastante coisa que não vira rap em si, talvez um dia venha a lançar um libro, mas hoje isso não é algo concreto.

Sobre a música "Seja Você O Seu Deus"

Lado C: Quando a letra foi feita e como surgiu a ideia?

Mattenie: Se não me falha a memória escrevi-a entre abril e maio de 2013, logo após realizar a leitura do "Assim falava Zaratustra - F. Nietzsche". No livro ele prega a ideia de "Super-Homem" ou o "Além do homem" impondo à raça humana sua superioridade, sua auto-suficiência e independência. A frase "Deus está morto!" é uma das mais famosas do livro e também explica o refrão da música, "Veja o que disseram ao Mateus - Mataram Deus!".

Lado C: Quem foi responsável pela produção instrumental, captação de áudio, arte e outras coisas do som?

Mattenie: A produção da música ficou por conta do Cauê "The Munir" Fernandes que também é o responsável pela produção de todas as faixas da mixtape. A captação e mixagem foram feitas em Pindamonhangaba - SP no estúdio Mr. Fish (Rafael Mudo).

Lado C: Como você resumiria a ideia que o som transmite?

Mattenie: Sinceramente é uma das minhas músicas favoritas exatamente pela força que a ideia dela passa. Vivemos hoje em um mundo onde tudo é mídia e todos estão tentando lhe empurrar algo, seja para comprar, seja para crer.  Nisso a verdade se perde.  Tento ensinar o que eu aprendi com o livro, que nós não podemos fugir de nossa natureza por acreditar que existe uma "pós-vida" ou que se você pecar em algo e não se arrepender você irá para o Inferno. A igreja é uma forma de governo e também está se desestruturando devido a falta de coerência no que nos é ensinado comparado ao que é visto e vivido hoje. - "era pra ser missão e virou profissão"

Música:

Minha Opinião:
A música apresenta um ponto de vista diferente do geralmente encontrado entre os músicos, mostrando o outro lado da história e mantendo a originalidade ao apresentar seu pensamento crítico. O beat ajuda a criar um clima que combina totalmente com a mensagem do som, o clipe, provocativo, gerando um resultado poético e pensante.
Trecho mais marcante:
"Ouvir uma música, pensar, abrir um livro: Já são três motivos pra você estar vivo. Pense nisso!"

Em Comum - Manifesto Crítico

Saudações a todos, o "Em Comum" da semana mostrará algo considerado bem comum dentro do RAP nacional, conhecido pelas suas clássicas críticas contra a corrupção, por exemplo, desde seu surgimento no Brasil. Atitude que considero digna, por ser utilizado o poder de influência dos músicos por causas realmente nobres. Aproveitando o "Clima da Copa" segue abaixo os selecionados.

1) Tábata Alves e Nocivo Shomon - Nosso Plano

2) Mattenie - Além Do Bem E Do Mal
Ouvir: https://www.youtube.com/watch?v=fVevoVcD5Rg

3) Mussoumano - Falso Patriotismo