segunda-feira, 7 de abril de 2014

Lado C entrevista: Átomo - Nêutrons

Saudações a todos, a primeira entrevista do blog é com o músico Átomo, a respeito de seu trabalho geral e de sua música nomeada "Nêutrons".

Sobre o Átomo

Lado C: Quando e como você entrou para o ramo musical?

Átomo: Em 1997, quando juntamente com amigos formei o U-Sal.

Lado C: Quais foram os primeiros músicos que você conheceu através do RAP?

Átomo: B.Boy Gero do Artigo Definido, Da Baixa, Marcello Comuna, Kappela, Dudu de Morro Agudo, Fator Baixada, Léo da XIII etc.

Lado C: Você tem ou participa de algum projeto além do RAP em si, como projetos com bandas, venda de beats etc?

Átomo: Sim, algumas poesias minhas seram publicadas esse ano num livro com vários outros autores, também as divulgo em sites destinados a esse fim. Faço beats, entretanto, dificilmente vendo, pois não faço por encomenda, só faço do modo que eu gosto, e esse modo é bem impopular.

Sobre a música "Nêutrons"

Lado C: Quando a letra foi feita e como surgiu a ideia?

Átomo: A ideia surgiu em 2010, quando eu notei que tinha muita música pronta, e arranjei um modo de classificá-las para lançar em discos, e esse modo foi dividindo como as partículas do Átomo: Elétrons, prótons e neutrôns. E como eu tinha mais músicas que se encaixavam na partícula neutron, decidi que uma música com esse nome viria bem a calhar, e chamei o Slow da BF, um dos maiores mc's que conheço.

Lado C: Quem foi responsável pela produção instrumental, captação de áudio, arte e outras coisas do som?

Átomo: Com exceção do desenho da capa que foi feito por Luiz Severino e a parte da letra do Slow, eu fiz tudo, ainda estava aprendendo a mixar e masterizar, mas ficou audível.

Lado C: Como você resumiria a ideia que o som transmite?

Átomo: A ideia do neutron, não negativo como o elétron e nem positivo como o prótons. E aquele dia que você não quer tomar partido de nada, não quer ser pró e nem contra nada, não quer emitir opinião nenhuma, quer ficar neutro.

Música:

Minha opinião:
O resultado final da música ficou muito bem harmonizado, tanto em sua mensagem quanto no beat utilizado e no flow que aparenta ser uma mistura de prosa e poesia.
Trecho mais marcante:
"Nem verde ou maduro, não to em cima do muro quando não tenho opinião formada
Não trata-se de estar confiante ou inseguro, às vezes quero apenas fazer a cama no vácuo entre o tudo e o nada"

Nenhum comentário:

Postar um comentário